Fechamento do hospital Municipal repercute na Câmara

Sessão Legislativa dia 28 de Setembro de 2017

Os parlamentares aprovaram na manhã desta quinta-feira (27/9), na sessão ordinária da Câmara Municipal, requerimentos, indicações e discutiram assuntos importantes para a comunidade do município. No pequeno expediente, que é momento em que os vereadores têm três minutos para fazerem suas colocações, o fechamento do hospital Municipal, a importância da reforma da Lei Orgânica do Município de Porto Seguro, a incorporação de Imbiruçú de Dentro ao município e a relevância da eleição de um deputado estadual de Porto Seguro que possa representar o município predominaram os assuntos discutidos.

O primeiro vereador a fazer uso da tribuna foi Kempes Neville – Bolinha do Mirante (PPS), que fez uma avaliação positiva da viagem à Brasília, na última sexta-feira (20), para tratar da incorporação ao município de Porto Seguro a área de Imbiruçú de Dentro, que pertence ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária  - INCRA. O vereador parabenizou o presidente da CMPS, Evaí Fonseca (PHS) e ao vereador Bibi Ferraz (PSC) pela iniciativa.  O vice-presidente da CMPS, Aparecido Viana – Cido (PSD) e os vereadores Ariana Fehlberg (PR) e Lazaro Axé Moi (PP) também fizeram parte da comissão à viagem.

Bolinha do Mirante parabenizou o presidente da Câmara pela atitude de mover nove processos contra o ex-prefeito Ubaldino Júnior, por conta de calúnia e difamação. Também parabenizou o prefeito de Eunápolis, Robério Oliveira pela entrega de casas no seu município na última quarta-feira (17). O vereador ainda se manifestou contra o fechamento do hospital municipal. “Sou enfermeiro e entendo a necessidade do povo em relação a saúde. Sou contra o fechamento, a não ser que poder executivo construa outro hospital”, disse. Bolinha ainda falou sobre as dificuldades que o município enfrenta por conta da sua geografia principalmente em temporada de chuvas, e que Itaporanga e Caraíva estão com as estradas esburacadas decorrentes desse problema.

Já o vice-presidente da Casa, ressaltou que a secretaria de Obras está deixando a desejar com relação aos estragos que a chuva vem fazendo nas estradas do município. “Há dois anos e quatro meses que uma máquina de patrolamento não vai a Pindorama. O distrito está abandonado”.  Cido solicitou o comparecimento do secretário de Obras à Câmara para se posicionar sobre a questão. O vereador também demonstrou sua indignação com o governo do Estado diante da transformação do SAC em ponto Cidadão, que acarretará transtorno à população devido a demora de espera para que as carteiras de identidades fiquem prontas. “Para requerer a carteira de identidade, o munícipe precisará chegar às 5h da manhã no Ponto Cidadão”. Para o vice- presidente, com o fechamento do hospital municipal  e rebaixamento do SAC,  Porto Seguro está retrocedendo.  Cido também levantou o problema dos veículos que pertencem ao pessoal do transporte alternativo que estão retidos.

Hospital

Em seguida, Cacique Renivaldo (PV)  levantou a questão do fechamento do hospital que acarretará transtornos para os moradores das comunidades de Caraíva, Barra Velha e Itaporanga. “A distância dessas localidades até Porto Seguro é de  de 100 km. Não sou contra a prefeita Cláudia Oliveira (PSD), mas defendo a necessidade do meu povo”. O vereador também  se manifestou contra a transformação do SAC, que gerará dificuldades para a retirada de documentos.

Na sequência, o vereador Robson Vinhas (PCdoB) falou da precariedade das ruas no Cambolo. De acordo com o vereador, há ruas que necessitam serem asfaltadas e outras precisando de manutenção. Robson ainda falou do retrocesso do município devido ao SAC que foi transformado em Ponto Cidadão e ressaltou a importância histórica de Porto Seguro.

O vereador Ronildo Alves – Nido (PMDB) também abordou o problema das estradas esburacadas em decorrência das chuvas em Arraial d’Ajuda e Trancoso. O vereador ainda protestou contra a proibição do IPHAN para realização de casamentos na Igrejinha de Trancoso, localizada no Quadrado. “O município deixa de arrecadar cerca de R$ 500.000,00 por casamento”. Nido também falou da necessidade de se eleger um deputado estadual da Casa nas próximas eleições. “Somos 17 vereadores. Penso que deveríamos ter um deputado que nos representasse. Coloco meu nome à disposição para apoiar”, disse.

Em seu pronunciamento, o líder do governo, Dilmo Santiago (PROS) parabenizou Evaí pela forma transparente e competente pela qual vem conduzindo os trabalhos da Casa, pelo respeito conquistado pela população e pela coragem de mover nove processos contra Ubaldino Júnior por denigrir a sua imagem. Dilmo ainda abordou a questão do fechamento do hospital usando a expressão “reordenamento da saúde no município”. “Em breve, vamos construir um hospital para atender a nossa gente”, disse. O líder falou da crise financeira do país e da necessidade de cortar gastos. “Para ter despesas é preciso ter receita”, argumentou. O líder também falou sobre os problemas acarretados no município, devido a dívidas deixadas por outras gestões com o INSS. “A prefeita precisou parcelar dividas anteriores”.

Em relação às demandas do distrito de Pindorama, o líder se dirigiu a Cido dizendo que há projetos de melhorias para o distrito contidas no planejamento de obras do município.

Transparente

Ainda na sessão, o presidente da Casa agradeceu o apoio dos demais vereadores se manifestando a respeito dos desacatos que vem enfrentando através de Ubaldino Júnior. “Tenho um trabalho realizado com retidão. Estou no meu terceiro mandato como vereador. Entrei com vários processos contra esse cidadão, que vai responder criminalmente na justiça. Nosso trabalho é o mais limpo e transparente possível. O Observatório Social acompanha todas as licitações da Câmara”, disse.

Evaí também ressaltou a importância da participação popular na primeira audiência pública para a reforma da Lei Orgânica do Município de Porto Seguro, que ocorrerá na quarta-feira (4/10) às 14:30h, no plenário da Câmara. “Gostaria de convocar a participação popular na audiência da reforma da Lei Orgânica que data de 1990. A Lei Orgânica rege o município”. O presidente também informou que será construída uma policlínica no centro da cidade, localizada no hospital da Mulher e que o Neurocor atenderá os casos de emergência até que seja concluída a construção.


Imprimir   Email