CMPS convoca secretário de Saúde para explicar ações de combate à Covid-19 no município

A Câmara Municipal de Porto Seguro realizou na manhã desta quinta-feira (16/7), uma reunião com o secretário municipal de Saúde, Kerrys Ruas, para discutir e ouvir esclarecimentos sobre ações de enfrentamento ao novo coronavírus no município. 

Presenças

Além do secretário de Saúde, a reunião contou com a participação da superintendente da Atenção Básica Intensiva, Thaís Barbosa; a superintendente de Vigilância em Saúde, Larissa Altoé; o superintendente da Rede de Urgência e Emergência Gioncarlos Moreno, a vereadora e presidente da CMPS, Ariana Prates (PL), o vice-presidente da CMPS, Lázaro Axe Moi (PSC), o vereador Aparecido dos Santos -Cido (PSD), vereador Kempes Neville (PSC), líder do governo Rodrigo Borges (PSC) e a vereadora Lívia Bittencourt (PT).

Dentre os esclarecimentos aguardados pelos vereadores estavam os que envolvem a destinação dos recursos do governo federal à Prefeitura no valor de R$ 1.480.000,00, bem como quatro parcelas no valor de RS 580.000,00 , para auxílio emergencial. Em resposta à presidente da CMPS, Ariana, o secretário de  Saúde, Kerrys Ruas informou que Porto Seguro está empregando integralmente os recursos com transparência  e que 80% dos R$ 1.480.000,00 são destinados à folha de pagamento dos profissionais para o combate ao coronavírus. Em relação ao auxílio emergencial, segundo Kerrys,  80% da verba é destinada à saúde e 20% para a assistência social.

O secretário ainda informou que está estudando junto com a prefeita a possibilidade de comprar duas ambulâncias para atender a população acometida pela Covid-19.

Comissão

Na ocasião, o vereador Cido questionou com o secretário de Saúde o motivo dos vereadores serem ignorados em relação aos decretos da prefeitura. “Criamos uma comissão na Câmara especificamente para ajudar no enfrentamento da Covid-19 e nunca fomos chamados para participar da elaboração dos decretos”, disse o vereador.

Conforme explicou o secretário, “temos um trabalho técnico que precisamos seguir à risca, seguindo as autoridades mundiais de saúde. Infelizmente há uma grande diferença entre o ideal e a realidade. O momento é de ajuda – 90% é por conta da população e 10% do poder público. O povo precisa colaborar. É preciso evitar aglomeração, usar máscara e se adaptar à situação”.

A vereadora Lívia falou sobre a necessidade de barreiras sanitárias e de fiscalização das balsas – , que estão realizando as travessias lotadas por pessoas sem máscara, bem como as feiras livres e bairros como Frei Calixto e outros.  “Onde estão os guardas municipais”, indagou a vereadora.

Segundo o secretário, “não há eficácia de barreira sanitária em Porto Seguro, devido a extensão do território. Teria que fechar a cidade toda para ter alguma eficácia. Somos 150.000 habitantes. É impossível testar toda a população. A realidade é diferente do ideal. Nosso trabalho consiste em um conjunto de ações adaptados à nossa realidade”.

Hospital de campanha

Em relação à instalação do hospital de campanha na cidade, segundo Kerrys, os custos são muito altos e o município não conta com o número de profissionais suficientes para atender a demanda. “Temos de 80 a 100 profissionais de saúde afastados em decorrência da pandemia”, disse.

De acordo com o secretário, as unidades de saúde dispõem de testes rápidos, mas que eles  só têm uma eficácia de 100%, após o décimo dia da realização.

O secretário informou ainda, que a população pode e deve procurar a atenção básica de saúde de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h, para atendimento médico.

No final da reunião, os vereadores parabenizaram o secretário pelo trabalho e se colocaram à  disposição no enfrentamento à Covid-19.

A transmissão da reunião foi realizada ao vivo através do site www.cmps.ba.gov.br.  


Imprimir   Email